Voltar aos Textos
Denise H. Bandeira                     

Todo o trabalho corporal do Yoga tem sua base no Tantra Yoga. O Hatha Yoga, via subseqüente, e todas as linhas dele originadas enfatizam o Yoga terapia, isto é, tratam os sintomas de um desequilíbrio esquecendo-se que a base do desequilíbrio está enraizada profundamente no corpo como couraças nas zonas dos Chakras e advém da psique. A cura real só será possível, tratando-se a base do desequilíbrio e o tratamento precisa ser individualizado. As pessoas são diferentes, tem uma história registrada no corpo, e necessitam um trabalho diferenciado. Somente o “Dakshina Tantra Yoga” leva em consideração esta diferença .
Obs: leia mais (Dakshina tantra Yoga e Chakras)


O que é Couraça?

Para Reich, couraça é uma espécie de armadura de tensão que impede o fluxo energético e biológico.


Como ela se forma?

A couraça se forma como uma defesa contra os perigos do mundo externo e interno. A criança chega a este mundo livre e solta, mas é totalmente dependente de outros que não a compreendem, assim começam os primeiros traumas, as primeiras impressões se formam, e pouco a pouco vão definindo o caráter. Há um grande medo do desconhecido, do diferenciado. Não é possível mais sentir-se uno, integrado a tudo e a todos. O ponto crucial a ser retido, aprisionado, parece ser o terror de se render à convulsão orgástica, na qual o homem se funde por completo com a natureza.

Para melhor exemplificar o desenvolvimento das couraças usarei como exemplo a ameba: Se a ameba é cutucada com um alfinete ela contrai-se. Depois de uma alfinetada somente, a ameba logo começa a expandir-se como antes. Se acontecerem vários ataques seguidos, ela torna-se cautelosa expandindo-se ansiosa e incompletamente. Depois de uma série de ataques ela permanece em contração, permitindo-nos dizer que está encouraçada e passando por uma sensação de ansiedade. A ameba se defende do meio ambiente através de uma redução (contração) de seu tamanho o que aumenta a pressão interna.

Segundo Reich a couraça muscular do carácter é precisamente a soma das não liberdades da pessoa, resumo de tudo que pretendeu fazer e lhe foi proibido, de tudo que ela não pretendia e lhe foi imposto.

O desejável tanto na visão Reichiana como no Yoga é o que Reich denomina de o Homem Orgástico. O homem orgástico é totalmente livre de couraças, é um canal aberto para a energia cósmica., é um ser pleno e vibrante é pura potência. O Poder é fruto do ego do sentir-se diferenciado; a potência é a capacidade total do homem, e a capacidade de um não limita a de outro, é possível a todos manifestar essa potência total.


Conseqüências da couraça

A couraça impede a pulsação e a vibração do corpo. A energia não flui facilmente e posteriormente todo o corpo fica tenso, envelhece e adoece.
Hoje vivemos uma “simpaticotonia crônica” (excitação do sistema nervoso simpático), resultante do excesso de solicitações e exigências: de trabalho, de atenção, de conhecimentos inesgotáveis de tudo que ocorre ao redor do mundo; estas exigências não nos deixam relaxar, expandir e ter prazer (ação do sistema parassimpático) ,esta excitação do simpático forma a couraça , a mantém e sustenta a neurose.
A couraça impede de sentir e de se expressar livremente. O homem torna-se semelhante a uma pedra (fria, imóvel).


Caminhos da energia

A energia é produzida, no corpo, pela ingestão de alimentos, líquidos, de ar, sendo também absorvida diretamente pela pele. É descarregada por intermédio de atividades, da excreção, da expressão emocional, do processo de pensamento, e pela conversão em calor corporal, que se irradia para o meio circundante e pelo sexo. É igualmente usada para o crescimento. Em circunstâncias normais, fabrica-se mais energia do que a necessária para a descarga; se isso não se interrompesse, o organismo teria de crescer sem parar, senão estouraria. No intuito de manter um nível de energia estável e econômico, o excesso tem de ser descarregado a intervalos mais ou menos regulares. Essa descarga econômica de energia é a função do orgasmo (prazer total). No Yoga é dito que se o apana (impureza) não for descarregado o prana (energia) não entra. Muitas técnicas são utilizadas com o objetivo de purificar o corpo (kriyas, satkarmas, pranayamas, asanas...). Reich diz que se a couraça se faz presente, a energia bloqueada em sua descarga pélvica é impelida para o cérebro (a outra extremidade do corpo), buscado saída, e esperando que cada nova descoberta venha garantir as respostas que permitirão a reconstituição do contato cósmico. A pessoa que não descarrega a energia no nível pélvico busca exageradamente a espiritualidade, se distanciando da realidade (tem alucinações). No yoga dizemos que essa pessoa tem maior enegização nos chakras superiores e quase nada nos inferiores.

A energia precisa circular, qualquer bloqueio acaba fazendo com que a energia busque novos caminhos para a descarga, a energia distorcida não tem a mesma força de descarga pois não é compreendida.

Reich, como terapeuta é anti-religioso porque reconhece que a religião sendo dualista nos prometeu sempre um reino invisível ,após a morte, e nos bloqueou toda a possibilidade de ser feliz aquí e agora com este corpo; criando pecados, punições e castigos ligados a carne..., o que ocasionou muitos bloqueios nos níveis inferiores.

O Yoga já , anterior a Reich e todo o tipo de psicologia, é não dualista e reconhece que é possível ser feliz aquí e agora, habitando o corpo e relacionando-se com Deus presente na criação (leis e ordem) inclusive na função do orgasmo.

O Dakshina Tantra diz que onde existe couraça a energia fica bloqueada e, portanto outro chakra pode ser sobrecarregado de energia, estas diferenças de energia nos diferentes Chakras é que vão produzir as diferentes personalidades.

Ao desfazermos as couraças, gradualmente nova estruturação da personalidade ocorre . O potencial humano total se desenvolve com a energização total dos chakras a nível de raiz possibilitando finalmente a subida da Kundalini e o Samadhi., objetivo do Yoga.

Home